skip to Main Content
(21) 99186-5884 contato@neurocienciasaplicadas.com.br
Mapeamento Cognitivo Na Neurocirurgia

Mapeamento Cognitivo na Neurocirurgia

Nos últimos anos, os avanços no mapeamento cortico-subcortical, neurofisiológico intraoperatório e neuropsicológico aumentaram a capacidade de remover tumores cerebrais intrínsecos, expandindo as indicações e maximizando a extensão da ressecção. Isso proporcionou uma melhora significativa na sobrevida livre de progressão, tempo de modificação maligna (em gliomas de baixo grau) e sobrevida global.

Consequentemente, os pacientes sobrevivem por mais tempo em boas condições clínicas, mas ao mesmo tempo experimentam distúrbios funcionais, além das funções motoras ou de linguagem básicas tradicionalmente consideradas.

Enfim, as técnicas atuais permitam a preservação das funções motoras e da linguagem durante a cirurgia, mas persiste a necessidade de manter um conjunto complexo de funções definidas com o termo cognição. A cognição é definida como todo processo neural subjacente a uma alta função humana e inclui desde funções motoras táteis e visuoespaciais, até memória, interações sociais, empatia e emoções.

Essa situação levou à necessidade de desenvolver testes adicionais para explorar funções cognitivas mais complexas e desenvolver tarefas intraoperatórias capazes de identificar locais corticais ou subcorticais possivelmente envolvidos nessas funções.

Em princípio, apurou-se testes inovadores, facilmente administrados no ambiente intraoperatório e eficazes na investigação da função. A opção é que possam ser aplicados durante a cirurgia em condições de vigília e, com isso, serem capazes de detectar uma série de funções envolvidas na manutenção de vários domínios cognitivos.

Desta maneira, a abordagem funcional quando é aplicada, amplas remoções de tecido fora das margens do tumor são possíveis sem potencializar déficits neurológicos ou neuropsicológicos adicionais em uma grande porcentagem de pacientes.

Logo, o êxito clínico dos pacientes que passam por neurocirurgia, atualmente, só é possível por causa de inovações recentes introduzidas no mapeamento cognitivo com o objetivo de preservar as funções cognitivas essenciais para manter a necessária qualidade de vida pela funcionalidade.

A respeito disso, a avaliação neuropsicológica é fortemente sugerida pré e pós-neurocirurgia para avaliar o comprometimento cognitivo devido ao crescimento do tumor, avaliar o resultado cirúrgico e planejar a reabilitação cognitiva.

Fonte do texto: Rossi, M., Nibali, M. C., Torregrossa, F., Bello, L., & Grasso, G. (2019). Innovation in Neurosurgery: The Concept of Cognitive Mapping. World Neurosurgery, 131, 364–370. doi:10.1016/j.wneu.2019.06.177

Fonte da imagem: Dandy WE. The Brain . Hagerstown, MD: WF Prior Company, 1966. Dandy foi pioneiro em técnicas para cirurgia do sistema ventricular. Nesta foto, ele demonstra a remoção manual de um grande tumor ventricular através da abordagem transcortical parietal.

Back To Top